Home Artigos Aceitar a si mesmo é necessário!

Aceitar a si mesmo é necessário!

142
0

Se prestarmos atenção na narrativa bíblica, vamos conhecer um Jesus que se expôs na vida e que foi exposto nos textos, sem máscaras.

 

Certa vez, Jesus estava pregando em Nazaré, cidade em que nasceu. Conta-se, em Marcos 6, que, apesar de as pessoas admirarem Suas palavras, muitos começaram

a questionar Seu valor e procedência.

 

Eles achavam pouco provável que um conterrâneo, filho de um “casal comum”, pudesse exercer um ministério especial; não tinham fé em Jesus.

 

Em outras palavras, não O aceitaram, a ponto de o Mestre decidir ir embora para outras cidades, pois a descrença das pessoas O impediu de realizar milagres ali.

 

Foi nessa situação que uma das frases mais conhecidas de Cristo foi dita: Só em sua própria terra, entre seus parentes e em sua própria casa, é que um profeta

não tem honra.

 

Jesus, o homem mais dotado de graça e poder sobrenatural, foi rejeitado em sua cidade natal, porque as pessoas já tinham uma concepção formada a respeito de quem Ele era e não foram capazes de se abrir para a Sua mensagem.

 

Quando leio essa história, consigo sentir o desapontamento do Mestre — de todos os lugares por onde passou, não foi bem recebido onde mais importava.

 

Segundo as Escrituras, Jesus foi um homem de dores; sabia o que era o sofrimento e conhecia o desprezo dos homens, mas não se engane: Ele também conheceu o

amor, a amizade, a glória e o brilho no olhar das multidões.

 

Jesus passou pelos altos e baixos da vida, contudo, nunca deixou de ser Deus. Enquanto homem, nunca deixou de ser o filho de Maria e José.

 

É curioso como muitas vezes seremos desprezados justamente pelas coisas que não podemos mudar.

 

Tememos descobrir quem somos, aceitar-nos e, por último, revelar-nos.

 

Não há nada de errado em querer ser amado, o triste é acreditar que você, autêntico, não é digno de amor.

 

Não há nada de errado em querer ser amado, o triste é acreditar que você, autêntico, não é digno de amor.

 

Você já se sentiu assim?

 

Jesus era especial, Ele era uma voz! Mas aparentemente, sua famíla não era especial o suficiente para aquele público e sua cidade natal também não.

 

Não era apenas Jesus que eles não aceitavam, era uma parte deles mesmos. Nossos preconceitos revelam muito sobre nós.

 

Dificilmente aceitaremos alguém sem restrições, se não aceitarmos a nós mesmos.

 

 

 

 

Não era apenas Jesus que eles não aceitavam, era uma parte deles mesmos. Nossos preconceitos revelam muito sobre nós.

 

Dificilmente aceitaremos alguém se

COMPARTILHE ESTE ARTIGO: