Home Artigos Agradeça a Deus pelas coisas que não deram certo

Agradeça a Deus pelas coisas que não deram certo

159
0

Algumas coisas talvez não dão certo para você e muitos acontecimentos te causam feridas, que demoram muito tempo para cicatrizar. E você não entende. E quanto mais você tenta entender, menos sentido faz.

Aquela vaga de emprego que parecia estar aberta para você, mas não foi você que foi chamado.

A viagem dos seus sonhos, tão perto de se realizar, mas por causa de um detalhe, você não pôde ir.

Aquele relacionamento, que terminou sem motivo.

Ou você se apaixona por alguém, mas a pessoa só brinca com seus sentimentos.

Tentativas frustradas. Sonhos adiados ou cancelados.

Planos que falharam.

E a pergunta surge: por que não deu certo Senhor?

Quanto mais você pensa nas possíveis explicações, mais sem sentido as coisas parecem e mais frustrado você fica. Você não entende.

Mas na verdade, você não precisa entender. Deus não dá as respostas que você quer. Deus só te pede uma coisa: agradeça.

Como assim? Agradecer pelas coisas ruins? Agradecer quando não deu certo? Agradecer quando me machucaram, me magoaram?

Sim.

“Sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles a quem ele chamou de acordo com o seu plano.” Romanos 8:28

Se ficamos reclamando, questionando; se colocamos a culpa em Deus, nos outros; se não agradecemos, ainda não sabemos que todas as coisas trabalham juntas. 

Agradeça a Deus pelas coisas que não deram certo. Louve-O. Você não sabe de que livramento Ele te tirou. E você não sabe quais são os planos dEle para determinada coisa não ter dado certo, porque olhamos tudo com o nosso ponto de vista. Porque não sabemos qual é o ponto de vista de Deus.

Não questione a Deus: “Por que não deu certo Senhor?!” Pelo contrário, diga: “Obrigada porque não deu certo Senhor. Obrigada pelo livramento. Obrigada porque Seus planos são melhores do que os meus.”

Com amor, Pati Geiger

Instagram: @patriciageiger

Foto: Ben White em Unsplash

COMPARTILHE ESTE ARTIGO: